Pages

quarta-feira, abril 29

Desabraçar

foto de Paulo Madeira


Vinha de longe, há muito que sonhava voltar aquele lugar, queria um momento que outrora sentira.
Tinha partido por não conseguir estar, tinha procurado bem longe algo ou alguém que lhe fizesse esquecer aquele lugar, sempre sonhou com momentos que nunca sentiu, tinha partido nessa busca, que cria, haveria de existir nalgum lugar, queria um momento em que de tão sentido, que era, não conseguisse desabraçar!

segunda-feira, abril 27

Lágrimas de Sal

foto de José Ferreira


Um vento brisa passava por entre a rama e em sussurro fazia-se sentir.
Lágrimas de sal que eu vira nos teus olhos quando te viraste e te neguei o beijo que assumidamente me pediste.
Um tambor soava ao longe e o meu sangue de tão agitado fluía por todo o corpo, teve sabor a fel ver-te partir naquele espaço verde almazado onde por entre lágrimas de sal te neguei o beijo que nunca chegou a surgir.

E isso interessa?




Quem era ela?
De onde viera?
Que idade tinha?

Ninguém sabia.

sexta-feira, abril 24

Margens

foto de João Tomé

Atravesso a ponte, a outra margem parece-me cada vez mais longe, o caminho que faço é agora outro, o rio está calmo, a ponte de aço fica mais abaixo, abraça a cidade pela cintura, essa viu-me crescer, esta amarra-se em terrenos outrora baldios que o betão invadiu numa massificação duvidosa. O verde parece-me pouco. Perscruto o rio quero palavras de água, respostas que as cinzas do tempo teimam em não dar. Afasto-me para outro lugar que já foi meu, duas margens da mesma vida, unidas pelo cordão umbilical que cada vez me parece mais frágil. Regresso, neste calmo entardecer à margem que me acolhe sem ser minha, olho o rio, está agitado, e sossego.

quinta-feira, abril 23

...



Portugal...

Um acidente automóvel. Chapa batida...

Zero feridos.
Cinco bombeiros.
Três polícias.

terça-feira, abril 21

Ao espelho



"As mulheres, durante séculos, serviram de espelho aos homens por possuírem o poder mágico e delicioso de reflectirem uma imagem do homem duas vezes maior que o natural."

Virginia Woolf

segunda-feira, abril 20

Tango dos Sentidos




Puxou-a para a dança.
A perna desenha um círculo de desejo.
Línguas numa velocidade estonteante.
Uma sensação voraz, sufocante, urgente.
Rodopiam em explosão nas voltas de um tango.

Exposição "Arquivo Universal"


"Nestes últimos cem anos, a história da arte, cujo sentido tem escapado ao entendimento dos especialistas, tem sido a história daquilo que pode ser fotografado. "

André Malraux, 1951


Arquivo Universal, a fotografia como documento histórico desde o aparecimento da imprensa ilustrada até à era digital, altura em a fotografia documental entrou em crise.

A ver no CCB até 3 de Maio.

sábado, abril 18

sexta-feira, abril 17

Rótulo



O que é então que traz a alegria? É difícil não responder com a palavra amor, não é? O professor Eschenbaum costuma dizer que não existe semelhante coisa, que nos deixámos levar pela língua - não passa de um saco cheio de diferentes emoções e desejos no qual pespegámos, por razões de conveniência, um rótulo a dizer AMOR.

Cartas de Veneza, Robert Dessaix



(ao lado "O Jardim do Éden",
painel esquerdo do Jardim das Delícias de Bosch)

terça-feira, abril 14

Marcar o Tempo

O sino que chamava as gentes à lavoura na quinta está parado. Parou há muito, nem os meus pais se lembram dele. Apenas o velho relógio de pedra continua na esquina do tempo a marcar a espera enquanto houver Sol. Quero olhar em meu redor agora, esquecer o futuro. Não sei que horas são, li na pedra e simplesmente olvidei.

quinta-feira, abril 9

quarta-feira, abril 8

Cornucópia dos Sentidos


de Xero Sama

Existe paixão bastante no vento que gira, ainda que com vento alguém durma nos lençóis vermelhos que a paixão agita, pelo quarto como decoração uma cornucópia, já lá está há muito, da janela, por vezes à noite, observa as estrelas que no céu brilham, aqui e ali queima-lhe o pensamento uma ideia que não consegue afastar, qualquer que seja a janela, ainda que fosse aquário, haveria ideias que nadariam e inundariam-lhe o espírito, queria partir, mas queria ficar, noite em tanto mundo, tanta gente dorme, e ela para ali a pensar!

segunda-feira, abril 6

O anjo da história ou a visão da esperança e do desespero


“Uma pintura de Klee mostra um anjo prestes a afastar-se de algo que olha com grande concentração. Os seus olhos estão fixos diante de si, escancarados, a boca aberta, as asas prontas para o vôo. É assim que se pode imaginar o anjo da história. O seu rosto está voltado para o passado e onde nós vemos uma cadeia de eventos ele percebe uma catástrofe única que se acumula, destroços sobre destroços, e os atira a seus pés. Talvez o anjo desejasse ficar, acordar os mortos, consertar o que foi arruinado. Mas uma tempestade sopra do Paraíso; pegou as suas asas tão violentamente que o anjo não as consegue mais fechar. A tempestade suga-o para trás, para o futuro, enquanto os destroços se acumulam em direcção aos céus, diante dos seus olhos. Essa tempestade chama-se progresso.”

Walter Benjamin, Ninth Thesis on the Philosophy of History

quarta-feira, abril 1

Woman

foto de Daniel Pedrogam



O essencial da Vida!

Mais um prémio


A Estrelaminha premiou-nos com este selo! Obrigada!

(A sala de visitas está a ficar pequena para tanto selo... ainda nos obrigam a comprar mais uma assoalhada!)