Pages

sábado, novembro 29

Amor

foto de Susana Pires

Quando a minha mão percorre o teu corpo assim tão devagar, assim de uma forma tão sentida o tempo recua e a magia volta, hoje como há tantos anos atrás, o frio dum tempo de Outono, e a Primavera resplandecente a surgir dentro de nós. Encontrámo-nos, naquele subtil momento em que a minha mão tocou a tua pele pela primeira vez e tu me ofereceste os teus lábios onde até hoje eu mergulho em loucura de prazer!

(o minuto certo do dia 29 de Novembro de um certo ano)


quarta-feira, novembro 26

Cena quotidiana


foto de Ricardo Ferreira da Costa


Ontem cheguei ao local onde estaciono habitualmente e diz-me o "moedinhas":
-Olá, não a tenho visto, tem estado doente?
-Não, o meu carro esteve na oficina e tenho trazido outro mas deixei-o na garagem, por causa dos toques.
-Uhmmm andou com o carro do marido?!
Eu ri-me, pensei para mim, da marida, e disse para ele:
- Sim, tenho andado com carro do marido!
E lá fui rua acima a sorrir e a pensar: marido, marida, marido, marida...

terça-feira, novembro 25

Prémios


Da Estrelaminha e do Daegaz recebemos este prémio





e das meninas de Girls in Love recebemos este, além do anterior.


O prémio "Este blog é mágico" não tem regras nem restrições.
Atribui-se e pronto. Magia!

Por isso, este vai para meia dúzia, entre tantos que visitamos:

Estrelaminha

Dantins

Silver

Maria Papoila

Fiel Jardineira

Tulipa

Quanto ao Prémio "Dardos" é uma tarefa árdua contemplar 15 blogs. Numa breve ronda concluímos que já todos foram atingidos, daí não o passarmos a ninguém.

Obrigada a tod@s que nos premiaram.


segunda-feira, novembro 24

"Te quiero"

foto de Graça Loureiro


Sin tu caricia, sin tu voz,
sin tu mirada cálida,
sin tu presencia alrededor
yo no seria nada

Sin el "Te quiero" a media voz
que tú me regalas
sin esas noches de amor
yo no podria vivir

Yo no podria vivir sin ti,
sin ti acariciándome
Yo no podria vivir sin ti,
calmándome la sed

Yo no podria vivir sin ti,
sin ti bésandome la voz,
hablando a media luz,
ardiendo em mi vólcan,
llenándome de amor

Hablando a media luz,
ardiendo em mi vólcan,
llenándome de amor
Sin tu perfume que aspirar,
sin tu sonrisa mágica,
sin tu sabor al despertar
yo no seria nada

Sin los caminos de tu piel
por donde perderme,
sin la locura de tu amor
yo no podria vivir

(a tocar ali ao lado)

sexta-feira, novembro 21

Cabaret




Por vezes é preciso surpreender, a vida dá as suas voltas e se não as trocarmos o dia a dia é sempre o mesmo, entre a casa e o trabalho, uma variante ou outra mas pouco muda, a cada dia que passa sabe bem a rotina que se instala, mas também é muito bom quando ousamos quebrar a rotina e fazer coisas diferentes que nos dêem prazer e que nos levam a outras vivências, a outros sentires e a momentos mágicos de apreciação, entrega e constante surpresa.
Assistir a uma peça de teatro é qualquer coisa de diferente que eu pratico sempre que posso, e sempre que vou quero mais, logo a seguir, a interacção que se verifica entre o que está a acontecer no palco, os actores num vai e vém, as soluções de cena sempre a mudar fascinam-me, neste caso o final é previsível, mas ainda que previsivel é extraordinário.


A ver no Teatro Maria Matos, Cabaret


terça-feira, novembro 18

O regresso da Zanatti


Uma vez por mês, ao domingo às 21h na RTP2, Ana Zanatti reune 3 raparigas e 3 rapazes, entre os 16 e os 22 anos, falam de amor e sedução, sexo, dinheiro, morte, poder, família, violência, conhecimento e vícios. Dez conversas de uma hora a partir de 23 deste mês.

"Nunca na minha vida pensei fazer um talk show, foi a atracção pelo abismo", disse Ana Zanatti em entrevista ao DN Online, que acrescentou ao ser questionada sobre se as preocupações dos mais novos mudaram ao longo do tempo "Continuam a existir preconceitos e eles também os têm....talvez eu seja mais ousada do que alguns deles"

Fonte : DN Online


sexta-feira, novembro 14

Encontro


foto de Pedro Moreira


O sol resplandecia no seu cabelo alourado, uns olhos verdes mais doces do que mel, e um sorriso fácil a que o meu aderiu de imediato.
- Olá, eu sou a Ana, e tu?
- Eu, sou a Maria! – disse-me ela a medo.
Eu juro que o sol brilhou com uma intensidade desmedida, porque, para mim, adolescente numa aldeia onde nunca, até hoje, jamais alguém gostou de alguém do mesmo sexo (que se soubesse), eu, uma adolescente insconsciente, tive a consciência perfeita de que rapaz algum poderia ofuscar o que acabara de sentir.


in Contos da Diferença, Na minha Aldeia

segunda-feira, novembro 10

Hope

A Estrelaminha falou deste filme. Encontrei um dos discursos de Harvey Milk, que merece ser ouvido, um discurso de esperança.






"A liberdade é grande demais para ser enfiada pela soleira de uma porta fechada."
Harvey Bernard Milk

terça-feira, novembro 4

Olhar

foto de ®gonçalves

Final de tarde regresso a casa, hora de ponta, carros parados, ouço a Mega, estou parada no sinal, olho à minha volta, ao meu lado um Clio faz-me olhar outra vez, duas miúdas, algo me chama atenção por puro instinto olho novamente, reparo numa mão que percorre um rosto, uma carícia tão meiga que despertou um grande sorriso em mim abre o sinal o Clio muda de direcção e eu sigo o meu caminho, não sem que um gesto tão simples e tão bonito me tenha feito esquecer todo o cansaço, e chegar a casa mais feliz com a ternura da cena que sem querer presenciei!

O amor de Lorca e Dali




Música : Por una cabeza, de Carlos Gardel

Está a ser rodado o filme "Little Ashes", uma co-produção anglo-espanhola dirigida por Paul Morrison que retrata o amor não consumado de Federico García Lorca e Salvador Dalí. Enquanto Lorca se enamorou perdidamente pelo pintor, este que nunca aceitou a sua homosssexualidade, nem gostava de ser tocado, não podia viver sem ele mantendo uma relação artística e pessoal muito intensa, até se dar o seu afastamento.

"Somos dois espíritos gémeos. Aqui está a prova : sete anos sem nos vermos e é como nos tivéssemos falado diáriamente", disse Dali quando reencontrou Lorca em Barcelona.