Pages

segunda-feira, maio 16

Finitude


Todos os dias começam e acabam e isso não nos é indiferente. Todos os dias a vida começa e acaba. Um dia acordamos e percebemos que tudo em nós é transitório, percebemos que amanhã, aqueles que fazem parte da nossa vida hoje, os personagens da nossa história, aqueles que amamos poderão não estar ao nosso lado.
E ao percebermos que tudo em nós, e nos outros, é finito, que não temos tempo para reconciliaçoes, para brigas, para exteriorizar todos os sentimentos que estão presos dentro de nós damo-nos conta que amamos.
Essa finitude, tão discutida e tão óbvia da vida, é que mostra que ainda podemos amar.
Por vezes é tranquilizante, mas, por outro lado, amplia a sede que temos de infinito.