Pages

domingo, janeiro 27

Devoro-te


Foto de Helder Mendes


"Avidamente devorou todos os pedacinhos de Diana a descoberto, com os dedos escaldantes, os lábios macios e a língua; perante o seu sereno sorriso de satisfação. Deixou-a fazer tudo o que queria : abrir-lhe a camisa, acariciar e beijar-lhe os seios; abrir-lhe as calças e senti-la molhada..."

extraído de "O Mergulho" - Marta Tâsmania

quinta-feira, janeiro 24

segunda-feira, janeiro 21

Do Amor



"Existem, no meio da paixão mais violenta e mais contrariada, momentos em que se julga de repente já não amar; é como a nascente da água doce no meio do mar"

"Basta uma pequeníssima esperança para provocar o nascimento do amor."

"Dir-se-ia que por estranha regularidade do coração, a mulher amada comunica mais encanto do que o que efectivamente possuí."


Do Amor, Stendhal

sexta-feira, janeiro 18

Ecce Homo

Ecce Homo, Bernard Pouchain


Desbaratamos deuses, procurando
Um que nos satisfaça ou justifique.
Desbaratamos esperança, imaginando
Uma causa maior que nos explique.

Pensando nos secamos e perdemos
Esta força selvagem e secreta,
Esta semente agreste que trazemos
E gera heróis e homens e poetas.

Pois Deuses somos nós. Deuses do fogo
(alhando-nos a carne, até que em brasa
Nossos sexos furiosos se confundam,

Nossos corpos pensantes se entrelacem
E sangue, raiva, desespero ou asa,
Os filhos que tivermos forem nossos.

José Carlos Ary dos Santos

(7-12-1936/18-01-1984)

quarta-feira, janeiro 16

À dúzia é mais barato


Carla Bruni, anda com um anel igual ao que a ex-1ª dama tem?
Dizem que Sarkozy deu anéis iguais.
Será que a Casa Dior vende por atacado?

domingo, janeiro 13

Mesa do fundo


Composition VII (1913), Wassily Kandinsky

Na mesa, corrida, frente a frente ou lado a lado, observei-as da minha ao fundo, conversavam duas a duas, por vezes três a três. Seriam amigas? Colegas? Conhecer-se-iam há muito? Compartilhariam histórias? Quem sabe, não lhes perguntei, concentrei-me nos seus gestos e retive um pequeno pormenor, uma delas com deditos ágeis e firmes segurava o garfo e enrolava a fatia do presunto com estilo e precisão!

sexta-feira, janeiro 11

Roteiros II




"Quando um espaço atinge o sublime,
Ou toca de leve no fundo dos nossos
Sentidos de forma a quase embriagar,
A essência do prazer … faz bem ao ego.
"



quarta-feira, janeiro 9

Do silêncio



Foto de Rui Lebreiro


Levanto a custo os olhos da página,
ardem;
ardem cegos de tanta neve.
Faz dó esta paixão pelo silêncio,
pelo sussurro do silêncio,
pelo ardor
do silêncio que só os dedos adivinham.
Cegos, também.

Eugénio de Andrade

segunda-feira, janeiro 7

Embondeiros




Reparo então que estou a ver embondeiros pela última vez na minha viagem.
Dentro de algumas horas sairei definitivamente do território deste sobrevivente de um qualquer apocalipse estrelar - por causa da sua estranha forma em que os troncos parecem raízes, em África diz-se que os embondeiros caíram do espaço. E diz-se também que, quando um africano morre, a sua alma passa a viver dentro de um embondeiro. Com este itinerário despeço-me dos embondeiros, e das crenças que contém , e de toda a África que acredita nelas.

Gonçalo Cadilhe, em África Acima

sábado, janeiro 5

Desafio Surreal


Table Top de Rob Gonsalves


Embora tardiamente aqui fica a nossa resposta ao desafio que a Angell nos aprontou : 5 afirmações surreais.

-Ao olhar à volta, senti tanta Paz, tanto Amor, será que mudaram o mundo ?


-Acabaram as notas, as moedas... dinheiro!


-Não faço a mínima ideia do que tenho nas mãos, mas é giro !


-Mostra-me o caminho mais rápido para o prazer absoluto.


-Transformar cada tsunami do dia-a-dia numa onda perfeita, quando a onda se desfaz em cima de nós.

quinta-feira, janeiro 3

Exaustão


Fraga da Pena (2007)


Nas enseadas dos segredos
Há uma outra vida em surdina
De encontros breves e intensos
De renasceres nunca encontrados

As aves nas escarpas negras
Fazem a dança dos excluídos
Quanto mais perto da morte
Mais rente o peito da rocha

Lá estão os amantes em suspenso
Em voos rápidos e acutilantes
Desprezando o relógio dos costumes

É preciso percorrer essas enseadas
Criar tempo e imaginá-las
Até à exaustão dos sentidos e das noites

Carlos Oliveira Cruz