Pages

terça-feira, junho 30

In Memoriam



"Escrever [e dançar] é tantas vezes lembrar-se do que nunca existiu. Como conseguirei saber do que nem ao menos sei? assim: como se me lembrasse. Com um esforço de memória, como se eu nunca tivesse nascido. Nunca nasci, nunca vivi: mas eu me lembro, e a lembrança é em carne viva."

Clarice Lispector

terça-feira, junho 23

Pela manhã I



Para trás ficou o trânsito, o pára e arranca do eixo, a descida alucinante da garagem, a subida em direcção ao dia a dia, à minha espera o espaço que me acompanha todo o dia em horas mais ou menos cheias mas que prezo, gosto do que faço, e por vezes olho à minha volta e penso aqui também sou feliz!
A minha concentração deixa para lá da porta da entrada todo um outro mundo de coisas tão importantes, mas que é isso mesmo: o meu mundo!
-São para si, dizem-me, tulipas laranja vêm ao meu encontro!
Chegam de muito longe, desse outro mundo, que me faz ainda mais feliz, e o meu dia já não foi só mais um dia, foi um dia em que com o coração à flor da pele tremeu no canto do olho uma lagrimita.

quinta-feira, junho 18

Luz

by Zindy


"... a luz é o que, sem se ver, faz ver e não se pode agarrar com os dedos de todas as mãos..."


Pedro Paixão, O Mundo é Tudo o que Acontece

quarta-feira, junho 17

Hoje é o teu dia



Aquela menina de olhos ávidos de mundo, cabelos escuros, magrizela,que caminhava e brincava com a terra, sujando o bibe cresceu com os passos mais belos mesmo quando destoavam dos demais. Desenhou com as cores da vida traços cheios de pura poesia, dando vida às linhas da mão. Cantou, sorriu, sonhou, aprendeu a contornar as pedras que lhe surgiram no caminho, viu pessoas irem e outras voltarem. Despediu-se de umas por uns tempos, outras nem tanto. Sentiu saudades definitivas, outras temporárias. Caminhou por um mundo onde poucos entravam com uma música só dela até a cantar em dueto. Cresceu em cada tombo, de cada vez que se ergueu. Cresceu em cada lágrima que rolou pelo seu rosto para hoje receber carinho de todos os lados, um carinho colorido e de todas as formas.
E agradecendo por cada pedra, cada curva, cada lágrima e por cada passo, hoje ela pisca o olho ao tempo, dá-lhe a mão e segue, devagar, rumo ao futuro.

Parabéns, meu amor!

domingo, junho 7

Mãos no fogo


Inicialmente pensei que ela quisesse algo de mim. Depois achei que ela me usava para atingir um fim, o céu quem sabe. Parecia-me improvável essa amizade incondicional. Pelo menos para mim. Eu que era desconfiada, céptica, triste, solitária. Eu que não confiava em ninguém. Eu que pensava sempre. E via sempre decepção. Quando lhe dizia, ela ria-se. Ela dizia que se eu fosse realmente assim não desencadeava essas paixões, que no entender dela, me cercavam e eu não via.
Mas estaria eu preparada para isto? Confiava?
Poderia pôr as mãos no fogo por ela?


quinta-feira, junho 4

Escuro

foto de Ricardo F. Costa

O sol já se pôs. As nuvens descreveram, ainda há pouco uma ave de asas abertas sobre o mar, que agora não posso ver de tão escuro que ficou.

terça-feira, junho 2

Tempos

foto de Whoismatt2


“ Ter sempre pressa não impede a morte,
tal como ter vagar não nos impede de viver”

Provérbio africano