Pages

segunda-feira, setembro 21

Nós


Lançados estão os dados no rectângulo que observo, vejo luzes que brilham, imagens bem estudadas que apelam à simpatia de quem as observa, observo o presente, posso prever um futuro a breve prazo, o minuto seguinte, algumas horas, mesmo alguns dias, a ansiedade de um futuro distante cria uma sombra no meu pensamento, e o meu pensamento diz- me que ainda que se tente, ainda que se queira, nunca se é inteiramente feliz, há sempre um canto sem luz no mais luminoso dos corações.
A vida roda, faz-se dia a dia e como um novelo, nós vamos desenrolando, pouco a pouco e com o jeito necessário para que não apareçam nós, mas por maior que seja o cuidado, surgem, e com toda a paciência vamos desatando, um após outro e cada vez que desatamos um logo surge outro e o que vem a seguir é sempre mais complicado que o anterior e a nossa resistência menor, o que adquirimos em imunidade perdemos em vitalidade e de ânsia em ânsia queremos sempre dar aquele passo à frente em que seriamos capazes de prever o que aí vem, na ânsia de querer prever, não ligamos ao presente, e o presente, digo eu enquanto observo o rectângulo que não me prende, o presente é tudo o que realmente temos com mais ou menos sombra.

5 comentários:

cegonhagarajau disse...

Quantas vezes pensei e penso assim?
Não nos podemos esquecer que é no presente que se constrói o futuro, não antecipes, simplesmente vive!
Penso que assim os nós se soltam mais facilmente.
Abraço

Pano pRa Mangas disse...

:) bonito, sincero e sensato

g disse...

cegonha Que se soltem!

Abraço

Pano Obd muito sincero mesmo!

;)

via disse...

melhor, um dia de cada vez, o futuro é, seja qual for a perspectiva, sombrio. (o Outono é sempre o responsável pelo pessimismo, dizemos nós!)

g disse...

via Preparemo-nos para nos aninharmos no Inverno!