Pages

domingo, dezembro 19

Conto


Amavam-se, partilhavam segredos e loucuras, riam juntos. Viviam juntos. Tinham casas e contas separadas há muitos anos. Ele pediu-a em casamento, ela disse que ainda não era tempo. Ele esperou, insistiu, ela disse-lhe que mais adiante, mas em comunhão nem pensar, ele pensava que estavam a construir juntos. A família dela há muito que tinha passado uma borracha na existência dele. Ela aceitou, não contestou, não quis ou ignorou. Semana sim, sábado sim, domingo não, ela aceitava o convite, dizia-lhe que vinha cedo e saía, ia visitar a família. Ele calava, não contestava, de nada servia, ela dizia para esperar, contra factos ele não argumentava. Naquele domingo, ela deu-lhe um beijo, disse até logo, ele calou. Quando ela voltou, procurou-o. Ele tinha saído.

3 comentários:

g disse...

Que conto mais triste, espero que ele volte!

Pedrasnuas disse...

SERÁ QUE ELE SE FARTOU DE ESPERAR? PROVAVELMENTE...NÃO SABEMOS SE FOI ISSO...MAS ACONTECE!!! O CONTO FICOU EM ABERTO...TER-SE-Á SUICIDADO?

ABRAÇO NATALÍCIO

chrysaliis disse...

quem espera... nem sempre alcança e na maior parte das vezes desespera..