Pages

segunda-feira, julho 6

Merecimento

Foto de Paulo César

- Não era medo. Era desejo, só isso.
- As tuas mãos tremiam quando te deitaste ao meu lado. As mãos e os lábios. Tinhas apagado a luz.
- Não, foste tu. É claro que eu tremia. Nunca sentiste faltar-te a respiração por desejares muito alguém?
- Sim.
- Não me digas quem.
- Tu.
- Mas isso foi ao princípio. Na primeira noite que estiveste comigo. Estávamos os dois a tremer. Nem na escuridão nos atrevíamos a tocar-nos. Mas não era por medo. Era porque não julgávamos merecer o que nos estava a acontecer.

O Inverno em Lisboa, Antonio Munoz Molina

8 comentários:

Boo disse...

Lindo texto! E tão verdadeiro! :)

Beijos

Big Girls Don't Cry disse...

Tão real :)...

AlmaAzul disse...

Tão simples, e é quase inevitável trazer-nos á memória algo vivido.
Um bom texto é assim, leva cada um para um lugar só seu.

estrelaminha disse...

bom dia!
viajei no tempo.
excelente.
tem uma boa semana!
beijocas

Mlou disse...

Senti igual, vivi igual... o nervosismo era imenso, a vontade imensa... o beijo imenso!

Beijo
ML

Cris (Mahinder Kaur) disse...

Não só julgar que não se merecia o que estava a acontecer, mas o desejo ser tão grande de querer fazer o outro feliz e ter medo de não o conseguir. Texto excelente! Touché...
Beijinhos às duas.

tulipa disse...

Quando estamos com alguém que amamos pela primeira vez suamos, trememos, ficamos sensiveis...
Gostei do texto.
um abraço
tulipa

maripoza disse...

Gostei :) e fez-me sorrir :)

Beijos