Pages

terça-feira, maio 5

Terra, essa Sábia

Fraga da Pena


"E, no entanto, move-se"
Galileu

Hoje já não esfolamos os joelhos nela, a terra já não nos suja os pés, já não dançamos sobre ela, já não brincamos ao berlinde com ela. Nascemos já sábios para ensinar a salvar a Natureza. Esquecemos que é ela que nos ensina, mais do que os livros e as teorias.
Porque, afinal, ela é mais forte.
Por isso nós partimos e ela não!

4 comentários:

estrelaminha disse...

olá!
mas que grande verdade!
(continuo a sujar os pés nela ;-) )
beijocas

Anonyma disse...

...e, no entanto, carrego com eles às costas para esse terreiro esquecido...busco-os entre papoilas, besouros, margaridas e lírios, brincamos ao faz-de-conta, à apanhada, às escondidas...até eles não poderem mais...e sujos, famintos e cansados levo-os de volta a casa...à saída perguntam-me "Podemos ir outra vez, titi?"
E, outro dia eu regresso, para que ele possam esfolar os joelhos.
Belo, a.

Swadharma disse...

Estou pasmo!
Reli 3 vezes este post... faz tanto sentido como a lua na noite!
Muitos parabens...

a disse...

estrelaminha, E as mãos não?

anonyma, Porque entregas os miúdos famintos?
Que tal aproveitá-la para um picnic...

;)

Swadharma, Obrigado pela visita e pelas tuas simpáticas palavras.