Pages

segunda-feira, outubro 16

Gigantes

Vladimir Kush
— Quais gigantes? — disse Sancho Pança.
— Aqueles que ali vês — respondeu o amo — de braços tão compridos, que alguns os têm de quase duas léguas.
— Olhe bem Vossa Mercê — disse o escudeiro — que aquilo não são gigantes, são moinhos de vento; e os que parecem braços não são senão as velas, que tocadas do vento fazem trabalhar as mós.
— Bem se vê — respondeu D. Quixote — que não andas corrente nisto das aventuras; são gigantes, são; e, se tens medo, tira-te daí, e põe-te em oração enquanto eu vou entrar com eles em fera e desigual batalha.
D Quixote de La Mancha, Miguel de Cervantes

2 comentários:

Coool disse...

Porque teimamos em ver gigantes, onde só há moinhos de vento?

:P

a disse...

sda, temos um pouco de D Quixote, não?