Pages

domingo, maio 2

Dia da Mãe


Na minha janela a pique até ao chão não há espaço para jardim, não há varanda ou canteiro, mas o sonho supera a realidade, nos dias que não são especiais, mas que assim ficam quando tudo já lá vai.
Numa simples janela onde nada existe colhi rosas laranja avermelhadas, que no álbum das recordações correspondem às que tantas vezes vieram ter à minha jarra.
No meu sonho desta noite, elas voltaram a ser reais, aquelas rosas que há tanto tempo não vejo . Eram plantadas, cuidadas e colhidas por ti, Mãe, que mas trazias com tanto carinho.

1 comentário:

a disse...

Por outras que tenhamos naquela jarra, nunca terão a mesma cor.