Pages

segunda-feira, maio 31

Cursiva

Cursiva, de Amy Yoes

Talvez por ser tão abstracta, há precisamente um ano a confundi com um gigantesco caracol verde.
Verde alface, dois "S", voltados de frente. Uma das letras está sempre invertida, tal como figuras ao espelho. Mas, para serem lidas, é preciso olhar do alto, só assim as duas letras perdem os contornos abstractos. Depois, há que a percorrer, entrar nela, subir ao seu dorso e escutá-la, escorregar em brincadeiras de crescidos, e esperar que seja, de novo, ponto de encontro.


2 comentários:

via disse...

é um quadro? uma instalação? seja o que for é tranquilizador.

alma disse...

Uma escultura no Parque das Nações!

É preciso estar atenta para se ver.