Pages

terça-feira, fevereiro 10

Barco no tempo

Foto de Gustavo Costa

"Cheiravas a feno e não sabias que o coração é um barco no tempo. Quando as aves do Verão demandarem o Sul virás devagar, abrirás a porta verde escura e esperarás em vão pelo frémito do meu corpo. Não voltarei a passar o renque de azálias, o muro onde o sol nasce, a chuva, para morrer nos teus braços."

Rosa Lobato de Faria, A Alma Trocada

2 comentários:

Anónimo disse...

Trocada andava a minha alma antes de saltar as azálias para cair nos teus braços!

fiel.jardineira disse...

Será noutra porta entâo :)
Beijinho às 2
Estou de volta...